Recuperação judicial deve avançar 50%


Os pedidos de recuperação judicial devem ter um crescimento exponencial neste ano, sobretudo em razão da crise provocada pela Covid-19. Segundo as estimativas dos especialistas de mercado, a pandemia deve provocar um aumento de 50% nas solicitações por parte das empresas que já estavam em situação financeira difícil. Os primeiros resultados mostram que a retração no mercado teve forte impacto no fluxo de caixa das organizações.

A recuperação judicial é um meio para que uma empresa em dificuldades reorganize seus negócios, redesenhe o passivo e se restaure de um problema financeiro momentâneo. Ela exerce hoje a função da concordata do passado. Trata-se de um dispositivo legal que visa resolver a situação de insolvência de uma empresa devedora, seja prevenindo e evitando a falência, ou suspendendo tal ação, proporcionando a restauração e a recuperação da organização.

Segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, as empresas João Fortes, Esser e Expresso Pégaso já iniciaram a fila dos pedidos de recuperação judicial na retração provocada pelo coronavírus. Os especialistas dizem também que a fila deverá ter um aumento substancial a partir do meio do ano, já que várias medidas para dar liquidez à economia ainda estão vigentes.

“A recuperação judicial é importante para que a empresa possa deixar de pagar os seus fornecedores e demais encargos e, assim, utilizar esse capital de giro para alavancar novamente a sua receita”, explica Bertrand Douet, sócio da Assertif. A empresa é administradora judicial homologada. “O ideal é que as empresas nos procurem com antecedência de modo que todas as opções e condições sejam avaliadas antes de qualquer decisão”, conclui.

 

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *