Impacto da pandemia no segmento de Bares e Restaurantes


A pandemia impactou financeiramente empresas de diferentes segmentos, dentre eles, o de Bares e Restaurantes.

Como um dos setores mais afetados, pesquisa da Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) aponta que a princípio, só em São Paulo, até 40% dos bares e restaurantes podem fechar.

Os resultados da pesquisa ainda pontuam que:

– 57,1% afirmaram ter demitido funcionários, sendo que expressiva parcela demitiu entre 30% a 50% da equipe;

-39,3% mantiveram toda a equipe;

– 6% dispensaram quem estava em período de experiência ou outros tipos de contratos

Neste sentido, o estudo mostra que a situação é um pouco preocupante para o setor.

Há saída além da redução de mão de obra ou fechamento? 

Antes de tudo, é preciso dizer que uma alternativa eficiente é a Recuperação de Créditos Previdenciários. O Brasil tem um dos sistemas tributários mais complexos do mundo. Assim, valores expressivos podem ficar pelo caminho e muitas empresas desconhecem as possibilidades de créditos recuperáveis. Em outras palavras, há formas de encontrar valores na sua própria empresa.

A solução assertiva!

Enfim, é importante destacar que com os nossos serviços direcionados a Bares e Restaurantes, já levantamos 15 milhões em créditos previdenciários. São 15 anos de experiência com R$ 1 bilhão levantados para grandes nomes do mercado em diferentes segmentos. 

Se este é o seu ramo de atuação, entre em contato para uma avaliação gratuita. A Assertif está à disposição para ajudar a levantar valores para o seu negócio!

Humberto Martins será presidente do STJ e Mussi deve ser vice-presidente


Em sessão plenária ocorrida no dia 05 de maio o ministro Humberto Martins foi eleito presidente do Superior Tribunal de Justiça. Martins é atualmente corregedor nacional de Justiça, ele substituirá o ministro João Otávio de Noronha no final de agosto.

Martins é conhecido por ser “operoso, correto e extremamente conciliador” nas palavras de Noronha. Em seu discurso de posse Martins anunciou que planeja uma gestão participativa e agregadora, em que os ministros da casa tenham oportunidade de opinar e participar ativamente das decisões a serem tomadas.

A ideia do ministro se baseia na criação de seis comitês compostos por cinco ministros cada para atuar nas áreas de gestão (saúde, segurança e transporte, tecnologia da informação, assuntos legislativos e orçamento e finanças), garantindo que todos os ministros da corte participem da administração.

O ministro Jorge Mussi ocupará a vice-presidência e a corregedoria da Justiça Federal. A atual vice-presidente, a ministra Maria Thereza de Assis Moura, atuará como corregedora nacional de Justiça.

A sessão ainda definiu outros cargos, vale destacar o ministro Og Fernandes, da 2ª Turma, como novo presidente da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados, em substituição ao ministro Herman Benjamin. Já o Gabinete da Revista do STJ, será presidido pelo ministro Benedito Gonçalves, da 1ª Turma.

Quer ver a notícia com mais detalhes? Acesse: Humberto Martins será presidente do STJ e Mussi deve ser vice-presidente

Ainda não é assinante do Jota? Clientes Assertif têm 10% de desconto. Aproveite.