Assertif reverte honorários para Santas Casas em quatro estados do Brasil


Segundo a consultoria de recuperação de créditos, a ideia é ampliar as doações com o apoio dos clientes

A Assertif, consultoria especializada na recuperação de créditos tributários, acaba de reverter 2% de seus honorários para cinco unidades hospitalares de Santas Casas em quatro diferentes estados do Brasil: São Paulo, Goiânia, Paraná e Rio Grande do Sul. A iniciativa soma-se a todos os esforços, no Brasil e no mundo, para fortalecer o profissional de saúde e contribuir com o sistema hospitalar. Principalmente, em razão da pandemia do Covid-19.

As unidades hospitalares beneficiadas pelas doações da Assertif são a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Curitiba (PR), a Sociedade Beneficente e Hospitalar Santa Casa de Misericórdia de Ribeirão Preto (SP), a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre (RS), a Santa Casa de Misericórdia de Goiânia (GO) e a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (SP). “Estamos satisfeitos em perceber que os nossos clientes estão alinhados com a nossa proposta de ajuda”, explica José Guilherme Sabino, sócio-fundador da Assertif. “Com apoio deles, podemos ampliar bastante as doações”, complementa.

O cenário das Santas Casas no Brasil

Segundo o Ministério da Saúde, dos 1.824 hospitais beneficentes sem fins lucrativos do País, 1.722 — ou seja, 94% — estão inseridos no Sistema Único de Saúde (SUS). Cerca de 800 desses têm mais de 50 leitos e realizam, aproximadamente, quatro em cada dez das internações da rede pública. Além de um quinto dos procedimentos ambulatoriais de média e alta complexidade, como cardiologia e oncologia. Os dados foram compilados pela Câmara dos Deputados.

As primeiras Santas Casas do Brasil foram fundadas ainda no Período Colonial. São institutos de saúde administrados por irmandades ou fundações, sem fins lucrativos. A de São Paulo existe desde 1.884. As instituições eram mantidas, principalmente por doações. Mas a manutenção desses hospitais está cada vez mais comprometida. Atualmente, 83% das instituições filantrópicas da categoria estão em situação de crise financeira.

Em nível nacional, o acúmulo da dívida das Santas Casas de Misericórdia já está próximo a R$ 15 bilhões. Cirurgias e outras atuações médicas têm sido canceladas por falta de recursos e débitos feitos com o sistema financeiro e fornecedores. “Os números por sí só revelam a importância da contribuição com essas unidades hospitalares”, conclui Bertrand Douet, sócio-fundador da Assertif.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *